Reinheitsgebot - A lei da pureza alemã

A lei do Duque da Baviera Guilherme IV para legislar a produção de cerveja


Reinheitsgebot que se pode traduzir como a "exigência de pureza", é a lei que foi promulgada em 23 de Abril de 1516 na Baviera e é considerada a regulamentação mais antiga do setor alimentício ainda em vigor no mundo e se baseia em um decreto do duque Guilherme 4º da Baviera.

HISTÓRIA

Existem duas versões que explicam o Reinheitsgebot uma das versões diz que essa lei foi criada para resolver um problema de demanda do trigo. Na época, a fabricação de pães, feitos com o trigo, disputava ingredientes com a fabricação de cervejas Weiss, também feitas com trigo e muito populares nessa região da Alemanha.


Em outra versão o problema era o Gruit,  uma alternativa ao lúpulo, e os ingredientes usados para fazer o Gruit eram os mais estranhos possíveis, bagas de zimbro, gengibre, sementes, cinzas, cal, folhas – que variava de acordo com a criatividade do cervejeiro. E ainda o Gruit variava de acordo com cada região. O problema era o resultado desta mistura, a fermentação totalmente inesperada e que muitas vezes não dava muito certo, trazia várias implicações como vômitos, diarréia e etc . Aliás, conta a história que esse “efeito colateral” teria sido o fator decisivo para que o duque promulgasse a lei!


TEXTO ORIGINAL DO REINHEITSGEBOT


“Proclamamos com este decreto, por Autoridade de nossa Província, que no Ducado da Baviera, bem como no país, nas cidades e nos mercados, as seguintes regras se aplicam à venda da cerveja:


Do dia de São Miguel (29 de Setembro) ao dia de São Jorge (23 de abril), o preço para um Litro ou um Copo, não pode exceder o valor de Munique do pfennig. Do dia de São Jorge (23 de Abril) ao dia de São Miguel (29 de setembro), o litro não será vendido por mais de dois pfennig do mesmo valor, e o copo não mais de três Heller.


Se isto não for cumprido, a punição indicada abaixo será administrada.

Se todo cervejeiro tiver outra cerveja, que não a cerveja do verão, não deve vendê-la por mais de um pfennig por Litro.


Além disso, nós desejamos enfatizar que no futuro em todas as cidades, nos mercados e no país, os únicos ingredientes usados para fabricação da cerveja devem ser lúpulo, malte e água.


Qualquer um que negligenciar, desrespeitar ou transgredir estas determinações, será punido pelas autoridades da corte que confiscarão tais barris de cerveja, sem falha.

Se, entretanto, um comerciante no país, na cidade ou nos mercados comprar dois ou três barris da cerveja (que contém 60 litros) para revendê-los ao vendedor comum, apenas para este será permitido acrescentar mais um Heller por copo, do que o mencionado acima. Além disso, deverá acrescentar um imposto e aumentos subsequentes ao preço da cevada (considerando também que os tempos da colheita diferem, devido à localização das plantações).


Nós, o Ducado da Baviera, teremos o direito de fazer apreensões para o bem de todos os interessados.”


Guilherme IV Duque da Baviera

Em outras palavras, a composição da cerveja deve ser a mesma em qualquer época do ano, seja verão ou seja inverno, composição a qual era malte, cevada, lúpulo e água, em quantidades precisas e definidas, além de que os mestres cervejeiros ganhariam consumidores pela qualidade do seu produto, pois por muitos anos os preços foram fixados, para não existir concorrência pelo preço.

A lei foi fundamental para que as cervejas fabricadas a partir de então tivessem qualidade e mais sabor, mesmo contando com apenas lúpulo, malte e água pura. Devido à importância do Reinheitsgebot para o mundo das cervejas, listamos os dois fatores influenciados pela lei da pureza alemã;


Qualidade da cerveja

lei da pureza surgiu porque, na época os cervejeiros da Baviera tentavam inovar suas produções adicionando à bebida ingredientes inusitados ou alucinógenos. O Reinheitsgebot acabou virando um "selo de qualidade", já que as cervejas passaram a ter um padrão e se viram livres de ingredientes como o arroz e o milho, bem como o tão falado Gruit.

Modo de preparação

Muitos cervejeiros ainda torcem o nariz em relação a Reinheitsgebot por achar que ela  inibi a criatividade na hora da criação. Os belgas, por exemplo, usam e abusam de diversos ingredientes, como frutas, ervas, cereais e temperos. Por outro lado, os alemães destacam que a lei pode servir como um propulsor para a criatividade da produção. Existem 1.300 cervejarias germânicas que dão origem a mais de 5 mil rótulos contendo apenas os ingredientes básicos.


O importante é que, para a época, a lei da pureza foi essencial para que os produtores seguissem um protocolo de produção com excelência e para oferecer ao público uma cerveja de qualidade. Nos dias atuais esta lei é mais flexível, pois existem cervejas com outros ingredientes junto aos estipulados pela lei, os preços não são tabelados, mas não quer dizer que a lei foi esquecida e não vigora mais. Tornou-se uma tradição, expandiu-se para toda Alemanha e ao mesmo tempo é um dos pontos altos do marketing da cerveja alemã.


E vale ressaltar que hoje existe uma infinidade de cervejas, de escolas cervejeiras, que mesmo não respeitando a lei da pureza, nos trazem cervejas de muito sabor e de extrema qualidade.

A partir de agora, toda vez que você beber uma boa cerveja vai entender a lei que determinou os rumos do padrão de qualidade da cerveja.


Viva a Lei da Pureza, PROST !


PARCEIROS

delibeery-cervejas.png
drink-karma.png
american-beer.png
tesla-cervejaria.png
wiva-cerveja-artesanal.png
logo_campinas_cervejaria_2019.png
zev.png
bierinbox.jpeg

Mogi Guaçu - SP

CONTATO

ENDEREÇO

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco

SIGA A GENTE